sexta-feira, 26 de junho de 2009

Desabafo



Certos acontecimentos me fazem parar e repensar tudo. Até que ponto vale a pena fingir que está tudo bem? Quem foi mesmo que disse que tenho que estar 100% o tempo todo?

Nunca fui de tampar o sol com a peneira, mesmo assim a vida me pregou algumas boas peças, como agora ... será que essa coisa de inferno astral é verdade mesmo?

Dizem que é nos momentos de crise que crescemos e evoluímos. Então vamos lá ...

6 comentários:

MR disse...

Crise? Do que? Que motivos você tem para isso?
O agora é fantástico.
E o foco do mundo não é você.
Você é só um ponto num bordado do tamanho do Universo. A cor, o capricho, a harmonia com os pontos ao seu lado, acrescentam na complexidade do bordado como um todo.

O Profeta disse...

Nasceu!
Nascem a todo o instante
Os sentires vindos da alma
Tatuados a cada semblante

Um beijo na tua procura
Um abraço fica suspenso
Um sorriso desponta da tristeza
Um olhar prende o momento


Bom fim de semana



Doce beijo

Jou Jou Balangandã disse...

Queridos, obrigada pelo carinho!

MR, tem horas que o ponto do bordado embola ... dá nó-cego ...

Evandro Varella disse...

Uma sessão de frequências, uma boa corrida... muitas coisas boas pra mudar o astral ( ou o inferno astral)...
Daqui um pouquinho isso passa.
Beijos

Jou Jou Balangandã disse...

Vavá, tenho corrido bastante, abusado das cores na cromoterapia, e tomado muito chocolate quente!
Obrigada pelo carinho.
Bjs

Priscila Lopes disse...

É no mínimo mais confortável pensarmos que evoluímos na dor.

Mas é, olhando para trás, com certeza nos torna mais aptos para dores ainda maiores.

Credo, que comentário todo pessimista.

Um abraço!